Últimas Notícias
Brasil

Prazo para inscrição de escolas na Olimpíada de Matemática termina nesta sexta-feira (30)

Escolas municipais, estaduais, federais e da rede privada que atuem nos segmentos do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e todo o Ensino Médio têm até esta sexta-feira (30) para manifestar interesse na 16ª edição da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep). A inscrição, que deve ser feita através do site da competição, é referente à edição de 2020, que foi adiada por conta da pandemia.

Prazo para inscrição de escolas na Olimpíada de Matemática termina nesta sexta-feira (30)

A participação dos estudantes depende, exclusivamente, das unidades de ensino.


As instituições de ensino que se inscreveram no ano passado estão com a participação garantida na 16ª OBMEP, mas podem realizar mudanças em seus cadastros se desejarem. Os estudantes são inscritos, exclusivamente, pelas escolas. Foi recomendado que os gestores não deixem para última hora, pois as informações dos participantes precisam ser repassadas para a organização da competição de forma detalhada. 



Para as instituições públicas, a taxa de inscrição não é cobrada. Já para os colégios da rede privada, um valor mínimo de R$180 é cobrado para cada nível. De 1 a 40 estudantes por nível: R$ 180; de 41 a 80 estudantes por nível: R$ 340; de 81 a 120 estudantes por nível: R$ 480; + de 120 por nível: R$4 por cada inscrito adicionado. 



A Obmep é dividida em três níveis:

Nível 1: 6º ou 7º ano do ensino fundamental

Nível 2: 8º ou 9º ano do ensino fundamental

Nível 3: Ensino Médio


Cronograma

Diferentemente das edições anteriores, as provas da primeira fase serão disponibilizadas na página restrita da escola no site da Obmep. As escolas terão de 30 de junho a 3 de agosto de 2021 para aplicar os exames da primeira fase. Fica a critério das instituições de ensino determinar em quantos turnos e em qual formato, presencial ou remoto, os alunos farão as provas.



Os cartões-respostas dos estudantes classificados para a segunda fase devem ser enviados pelos Correios ou por aplicativo entre 1º de julho e 11 de agosto. No dia 9 de setembro, a organização divulgará os classificados para a segunda fase que está prevista para o dia 6 de novembro. As provas da primeira fase são compostas de 20 questões objetivas. Já as avaliações da segunda fase são compostas por seis questões discursivas. 



A organização da Obmep espera divulgar o resultado em 18 de janeiro de 2022. Os melhores desempenhos serão premiados com medalhas de ouro, prata e bronze ou certificados de menção honrosa. Professores das escolas também receberão prêmios. 



Por causa da pandemia que impossibilitou a olimpíada em 2020, serão aceitos os estudantes que concluíram o ensino médio no ano passado, desde que sejam de escolas que tenham se inscrito em 2020 e tenham declarado possuir alunos do nível 3 na época.



*Com informações da Agência Brasil 

Fonte: Agência Educa Mais Brasil 

Tags: Educação, Olimpíada Brasileira de Matemática, OBMEP, Matemática, Ensino Fundamental, Ensino Médio

Autoconhecimento e teste vocacional são aliados na escolha da profissão

A escolha da profissão é um dos maiores desafios para muitos jovens que pretendem começar uma faculdade. Alguns optam por áreas que têm mais conhecimento e afinidade, mas se frustram no meio do caminho por perceber que, apesar desses fatores, não se reconhecem naquela profissão. Dentre os motivos que levam à indecisão no momento de escolher a profissão estão a falta de orientação adequada e autoconhecimento. O estudante de Relações Públicas Aldo Nonato Borges Junior, por exemplo, sentiu na pele essa angústia. 


Autoconhecimento e teste vocacional são aliados na escolha da profissão

Conhecer bem a si mesmo te ajuda a escolher com mais tranquilidade


Essa aflição pela incerteza da escolha da carreira pode ser minimizada com mecanismos de ajuda facilmente encontrados na internet. O Teste Vocacional, por exemplo, é um instrumento que identifica a compatibilidade da pessoa com as áreas existentes no mercado de trabalho e o seu perfil motivacional. Dessa forma, há mais chances de realização profissional evitando conflitos que contribuem para mudança de curso ou abandono de carreira.  O Educa Mais Brasil conta com essa ferramenta gratuita em seu site. O teste leva em consideração diversos fatores, como objetivos profissionais e realizações pessoais. 


Confira outras dicas simples que podem te ajudar na hora de escolher a carreira ideal:


1 – Conheça bem suas áreas de interesse

Além do autoconhecimento, é fundamental conhecer a sua realidade pessoal e do mundo, assim como saber mais sobre as profissões que são do seu interesse. Conhecer bem a si mesmo te ajuda a escolher com mais tranquilidade. Por isso, faça uma lista de seus principais interesses, talentos e pontos que precisa melhorar.


2 – Busque Orientação Vocacional

A orientação vocacional pode contribuir na escolha do futuro profissional. Esse processo envolve entrevistas, dinâmicas de grupos e alguns testes psicológicos, como de personalidade, atenção concentrada, raciocínios e de habilidades e interesses profissionais. Os resultados dos testes traçam, adequadamente, um perfil profissional e, a partir daí, são indicadas as carreiras que se encaixam no perfil profissional do aluno. Mas é importante destacar que, apesar dos resultados, a escolha é sempre pessoal.


3 – Encare sua escolha como ponto de partida

Tenha em mente que a escolha da profissão não irá determinar definitivamente sua trajetória. É possível descobrir, ao longo da vida, novos gostos e aptidões. O importante é compreender que a sua escolha deve levar em conta os seus interesses pessoais, sem deixar de pensar no retorno daquela profissão, tanto financeiro, quanto de satisfação pessoal e profissional.


4 – Saiba que o vestibular não é o fim do mundo

O vestibular é um dos momentos mais importantes da vida, pois simboliza o início de uma nova fase para o estudante. Natural que este momento decisivo cause medo e ansiedade. O melhor que você pode fazer é estudar e se preparar bem para as provas de seleção. Não esqueça de cultivar momentos de descanso e lazer e com amigos e familiares.


Fonte: Agência Educa Mais Brasil 

Tags: Teste Vocacional, Educação, Carreira, Profissão, Vestibular.

Dia Mundial da Educação: pandemia aumentou retrocesso do ensino na américa latina

Comemorado nesta quarta-feira, 28, o Dia Mundial da Educação chama atenção para o impacto da pandemia no acesso ao conhecimento, apontando ainda desigualdades latentes. A América Latina, por exemplo, retrocedeu, no mínimo, oito anos durante a pandemia de Covid-19 ainda em curso, segundo estimativas da Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI).


Dia Mundial da Educação: pandemia aumentou retrocesso do ensino na américa latina

Estudo aponta que 17 milhões de estudantes serão impactados negativamente 



Em uma escala de consequências, os jovens de baixa renda sofrem os maiores impactos, uma vez que muitas famílias perderam sua principal fonte de renda em decorrência do aumento no número de desempregos. Neste contexto, o secretário-geral da OEI para Educação, Ciência e Cultura, Mariano Jabonero, estima que cerca de 17 milhões de alunos dos últimos anos do ensino médio e dos primeiros anos da graduação terão dificuldades para continuar estudando, na maioria dos casos, por terem que abandonar os estudos para auxiliar na renda familiar trabalhando.



Para Jabonero, “a América Latina precisa de uma escola mais inclusiva, mais equitativa, com maior qualidade e para todos, e que todos tenham acesso à educação a distância e presencial, essencial para a maturidade educacional e a interação social".



Para debater tendências digitais, conectividade e acesso ao ensino de qualidade, um evento on-line será realizado hoje (28), às 16h, no canal do Youtube do Canal Futura. A transmissão contará com participação de Tessa Jolls, pioneira na educação midiática nos EUA. 


Aprendizagem brasileira tem avaliação negativa

Nesta semana, o governo de São Paulo divulgou que o desempenho em Matemática dos estudantes no 5º ano do Fundamental e no 3º ano do Ensino Médio despencou com a pandemia.  Contudo, anterior à pandemia, o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) 2019, avaliação mais recente sobre a aprendizagem na educação, já apontava déficits no ensino-aprendizagem da educação básica brasileira.


Rondônia e Roraima, por exemplo, apresentaram uma variação negativa na proficiência média do 5º e do 9º ano, entre 2017 e 2019. Segundo a pesquisa, o desempenho do Amazonas em Matemática registrou queda de 0,3 ponto.


De acordo com o Saeb, o déficit na educação foi presenciado em 16 estados, e apenas nove unidades da Federação conseguiram alcançar as médias do Brasil em todas as disciplinas e etapas de ensino. Distrito Federal, Goiás, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul se destacaram na pesquisa.




Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Tags: Educação, Ensino Superior, Educação Básica.

Fies: programa passa por mudanças, anuncia MEC

O Ministério da Educação (MEC) anunciou nessa segunda-feira (26) mudanças no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Dentre as novidades estão a prorrogação do prazo de renovação do programa e dispensa de apresentação física de alguns documentos. De acordo com publicação no Diário Oficial da União (DOU), o prazo para a renovação semestral dos contratos assinados com o Fies foi prorrogado para até 30 de junho. 


Fies: programa passa por mudanças, anuncia MEC

Prazo para renovação do programa estudantil foi prorrogado


A medida vale para os contratos simplificados e não simplificados. Além disso, a Portaria nº 191 também informa que o prazo para os estudantes que queiram pedir transferência de curso ou de instituição de ensino, com dilatação do período de utilização do financiamento estudantil referente ao primeiro semestre do ano, também se estende até 30 de junho. 


Outra novidade anunciada é em relação aos novos procedimentos adotados pelas agências bancárias para a contratação do programa. Através da Portaria nº 230 a autarquia informa que está dispensada a entrega física dos documentos emitidos pelas instituições de ensino na agência indicada pelos estudantes. 


Assim, não será mais exigido do estudante a apresentação em formato físico dos seguintes documentos: Documento de Regularidade de Inscrição (DRI); Documento de Regularidade de Matrícula (DRM); Documento de Regularidade de Matrícula Suspensão; Documento de Regularidade de Transferência (DRT); e Documento de Regularidade de Dilatação (DRD). 


Para tanto, cada instituição de ensino superior conta com uma Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) que é responsável pelo recebimento e análise da documentação exigida para formalizar a contratação do financiamento. 


Ainda assim, permanece obrigatória a emissão dos Documentos de Regularidade pela CPSA assinados pelos membros da CPSA e pelo estudante e guarda de via pela CPSA, mesmo que os procedimentos sejam realizados por meio digital ou eletrônico, sem prejuízo de revisão futura do ato. 



* Com informações do MEC.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil .

Tags: Fies, Fundo de Financiamento Estudantil, Educação, Ensino Superior.

Pesquisa aponta aumento no interesse dos brasileiros pela leitura durante a pandemia

Dados do Painel do Varejo de Livros no Brasil apontam que em março deste ano foi vendido 1 milhão a mais de livros do que no mesmo mês do ano passado. Esse aumento considerável é reflexo da necessidade de passar mais tempo em casa durante o isolamento social, por conta da pandemia do novo coronavírus. O brasileiro precisou rever alguns hábitos e, dentre as mudanças de comportamento, a leitura ganhou espaço na vida das pessoas. Mas na contramão desta notícia positiva, os livros poderão ficar mais caros e, consequentemente, inacessíveis para muitos cidadãos.


Pesquisa aponta aumento no interesse dos brasileiros pela leitura durante a pandemia

Em março deste ano, foi vendido 1 milhão a mais de livros do que no mesmo mês do ano passado 



Neste mês, uma discussão virou polêmica acerca da taxação dos livros, após a Receita Federal defender, em documento, “que os livros poderiam perder a isenção tributária porque são mais consumidos por famílias com renda superior a 10 salários-mínimos”. Ainda de acordo com a Receita Federal, a venda de livros pode começar a ser tributada em 12%, valor da alíquota sugerida pelo governo para a Contribuição de Bens e Serviços (CBS), o que implica em encarecimento nos seus preços. 



O hábito de ler é uma grande fonte de aprendizagem capaz de mudar a visão de mundo de quem o faz, bem como de ampliar o vocabulário, auxiliar na compreensão de si mesmo – uma vez que há identificação do leitor com o personagem e com a história - e, ainda, contribuir para o desenvolvimento cognitivo e emocional.


Com tantos benefícios, como os citados acima, a leitura ainda não é acessível a todos os cidadãos e pode encontrar nova barreira. Para defensores da democratização da leitura, como a professora e escritora Joelma Queiroz, a taxação literária poderá dificultar o trabalho de escritores, das editoras e, assim, reduzir a produção e distribuição de livros.


Na outra ponta, a tributação compromete o acesso dos brasileiros ao conhecimento e à cultura. “Acredito que a leitura é um grande instrumento para a educação. A vida de quem lê é modificada, e para melhor. Existem, cada vez mais, livros abordando cidadania, o respeito às diferenças e ao meio ambiente. Por isso, o ideal é que as pessoas tenham mais acesso aos livros, e não o contrário”, defende Queiroz.


Pesquisa aponta aumento no interesse dos brasileiros pela leitura durante a pandemia
A professora Joelma Queiroz começou a escrever um livro na pandemia.
Foto ARQUIVO PESSOAL

A professora Joelma viu no isolamento social a oportunidade de se aproximar ainda mais dos livros.  No ano passado, ela lançou sua primeira obra Cadê minha gatinha?, que aborda a temática do luto para crianças de forma leve e poética. Mais dois livros voltados para o público infanto-juvenil nasceram na pandemia: Dudu e o espelho da Bisa e O Renascer da Floresta. “O que mais me motiva a escrever é saber que posso contribuir para a formação de seres humanos sensíveis, mais empáticos e que saibam respeitar as diferenças”, afirma a educadora que também conta com um canal no YouTube para se aproximar dos alunos e compartilhar os benefícios da leitura.  


Fonte: Agência Educa Mais Brasil

TagsEducação, Leitura, Literatura, Livro, Pandemia.

Prazo para participar da lista de espera do Sisu 2021 encerra nesta sexta-feira (23)

Candidatos não aprovados na chamada regular Sistema de Seleção Unificada (Sisu) têm até hoje (23) para manifestar interesse em participar da lista de espera do programa. Até o momento, o Ministério da Educação (MEC) não sinalizou uma possível prorrogação do prazo. Os interessados devem acessar o site do Sisu, clicar em “participar da lista de espera”, na área do boletim do candidato. 


Prazo para participar da lista de espera do Sisu 2021 encerra nesta sexta-feira (23)


As instituições de ensino fazem as convocações dos integrantes da lista de espera conforme disponibilidade das vagas. Assim, os candidatos precisam ficar atentos às chamadas, acompanhando diretamente o site da instituição a qual está se candidatando para não perder os prazos.



A previsão é para que as universidades e institutos de ensino façam as convocações por meio da lista de espera no dia 27 de abril. Até lá, os participantes devem consultar as vagas que serão liberadas e conferir o dia, horário e local de atendimento para matrícula.



O Sisu 2021.1 distribuiu 206.609 mil vagas ofertadas em 5.571 cursos de 109 instituições de educação superior pública de todo o país. As inscrições ficaram abertas entre 6 e 14 de abril e puderam participar os estudantes que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, e alcançaram boas médias nas provas objetivas das áreas abordadas na avaliação com nota superior a zero na redação.


Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Tags:Sisu 2021, Enem 2020, Sisu inscrições, Educa Mais Brasil

Talentos brasileiros buscam angariar recursos através de vaquinhas on-line

A necessidade de conseguir apoio financeiro para a realização de sonhos e projetos de vida uniu o destino de uma bailarina que nasceu sem os braços, um grupo de cientistas que buscam curar tumores de câncer cerebral infantil a partir do zika vírus modificado e um designer industrial inventor de luvas biônicas para pessoas com deficiência. 


O apoio veio por meio de pessoas dispostas a ajudar o próximo. Através da plataforma de financiamento coletivo Só Vaquinha Boa, iniciativa do portal Só Notícia Boa, muitas pessoas puderam ser ajudadas. A vaquinha tem como objetivo ajudar talentos brasileiros de todas as áreas. 


“A intenção do Só Notícia Boa foi criar uma plataforma com histórias positivas para sensibilizar as pessoas pelo amor, não pela dor, pelo sofrimento, nem pela desgraça humana. E é o amor que esses talentos têm pelo que fazem que vai nos impulsionar a contribuir para transformar a vida deles e comemorar junto as conquistas”, explica o jornalista Rinaldo de Oliveira, criador do site dedicado a veicular somente reportagens com impactos positivos. 


Quando o maestro João Carlos Martins anunciou que faria uma cirurgia nas mãos e, consequentemente, teria que se despedir dos pianos, o designer industrial e professor de desenho Ubiratan Bizarro não se conformou. Ubiratan tem carreira na área de design inclusivo e pensou como o seu trabalho poderia ajudar o maestro a continuar tocando. Foi aí que ele inventou uma luva biônica que devolveu os movimentos dos dedos do maestro. 


As luvas foram entregues como presente de Natal, em 2019, e o vídeo do João Carlos Martins tocando com ela fez bastante sucesso, rendendo outras encomendas. O que Ubiratan pretende agora é ajudar quem não tem condições de pagar pelas luvas, reduzindo o valor em até 50% através da construção de uma oficina inclusiva. 


A intenção com a oficina é baratear todo o processo de confecção das luvas. Com parte do valor que será arrecado no Só Vaquinha Boa, o designer produzirá 20 luvas para doar a pessoas carentes. “Eu preciso de pessoas que possam me ajudar para aumentar a produção das luvas para beneficiar o máximo de pessoas possível. Eu não consigo mais fazer sozinho, então preciso de investimentos”, explica o profissional. Para ajudar Ubiratan a beneficiar outras pessoas por meio do seu projeto é só clicar aqui. 


Talentos brasileiros buscam angariar recursos através de vaquinhas on-line
A bailarina Vih Bueno quer construir um estúdio adaptado e um banheiro com acessibilidade.
FOTO - LEONARDO SOUZA (@jleonardo_souza_sr) (2).


Outra história beneficiada é a de Vitória Bueno, de 17 anos, uma bailarina mineira que nasceu sem os braços. Seja no balé clássico, sapateado ou no jazz, a vida de Vitória é movida pela dança, que ela se dedica desde os cinco anos. Vitória tem sido destaque nos palcos, onde é notada por grandes nomes do balé, ou nas redes sociais. Somente em seu perfil no Instagram, o @vihb_bailarina, ela soma 206 mil seguidores. Apesar dos passos de dança muito bem executados e do sorriso sempre presente em seu rosto, Vitória segue enfrentando obstáculos. Com persistência e talento, busca ultrapassá-los. De família humilde, a mãe dela está desempregada e a única renda vem do padrasto, que é aposentado. 

Talentos brasileiros buscam angariar recursos através de vaquinhas on-line
  Vih Bueno dança desde os cinco anos de idade. Campanha vai ajudar a construir um estúdio adaptado. FOTO ACERVO PESSOAL (3)


Entre os sonhos atuais da bailarina estão a construção de um estúdio de dança adaptado, além de um banheiro com acessibilidade. Hoje ela estuda e faz seus ensaios em um pequeno quarto que divide com a irmã e toma banho sentada no chão do banheiro para evitar o risco de cair. Tudo isso pode ser realizado com o dinheiro arrecadado pela campanha para a Vitória no Só Vaquinha Boa.


Mais do que ajuda para questões materiais – essenciais para o aprimoramento da dançarina – o dinheiro arrecadado servirá como gás para Vitória seguir fazendo o que mais ama. “Pretendo dançar muito ainda e poder representar o Brasil. Quero mostrar para o mundo que, independente da deficiência, independente da dificuldade, nós podemos tudo. E é como eu costumo dizer: você pode tudo, menos desistir”, afirma a bailarina. 


Outra Vaquinha disponível na plataforma do Só Vaquinha Boa vai ajudar cientistas do Centro de Pesquisas Sobre o Genoma Humano e Células-Tronco da Universidade de São Paulo (USP). Eles descobriram que é possível curar tumores de câncer cerebral infantil modificando a estrutura do zika vírus. Testes já foram realizados em animais e apresentaram bons resultados. 


A meta agora é avançar nas testagens e possibilitar o tratamento em humanos. “Estamos muito animados com a possibilidade de testar o tratamento em pacientes humanos e já estamos conversando com oncologistas. Também submetemos uma patente com o protocolo terapêutico adotado em roedores”, contou ao Só Notícia Boa a professora do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (IB-USP) Mayana Zatz. A campanha já está no ar e pode ser conferida aqui.



Fonte: Agência Educa Mais Brasil.

Tags: Vaquinha, Financiamento Coletivo, Jornalismo, Notícias positivas.


Professores de Educação Física podem consultar orientações do MEC para aula EAD

Professores de Educação Física ganharam um auxílio a mais para ministrar suas aulas na modalidade EAD. Em parceria com o Projeto Impulsiona, o Ministério da Educação (MEC) desenvolveu e disponibilizou um e-book que contém uma série de conteúdos com exercícios físicos para serem feitos em casa ou na escola de forma segura. Os professores podem compartilhar os arquivos diretamente com os alunos ou usar como fonte de consulta durante as aulas e, assim, continuar mantendo a motivação, mesmo a distância. 

Professores de Educação Física podem consultar orientações do MEC para aula EAD

Para o professor de Educação Física, Humberto Andrade, é importante que as atividades desempenhadas à distância sejam visualizadas pelo orientador para que ele possa fazer correções, se necessário, e evitar comprometimento da saúde. Além disso, o profissional alerta para os cuidados na hora de começar a praticar atividades físicas em casa. 


“Primeiro, o aluno tem que ter atenção ao espaço que escolheu. Não pode ter nada que ofereça perigo, como quinas de mesas, para não se machucar. Também é importante manter a postura, ter os mesmos cuidados com o corpo como se estivesse em uma academia”, orienta Andrade.


O material está disponível gratuitamente para download no site do Projeto Impulsiona, com oito planos de aula EAD de Educação Física para o Ensino Médio. As atividades envolvem Metodologias Ativas da Educação Física, que incluem estratégias simples para impulsionar os estudos dos discentes, conectá-los com os conteúdos de Educação Física e colaborar para o aprendizado.



Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Tags: Educação Física, MEC, Educa Mais Brasil