Últimas Notícias
Brasil

Hospital Municipal sofre interdição ética após fiscalização encontrar 'problemas infinitos' em RO

O Hospital Municipal de Santa Luzia d’Oeste (RO) sofreu interdição ética devido à grande quantidade de irregularidades encontradas pelo Conselho Regional de Medicina de Rondônia (Cremero). Falta de alvará e estrutura precária estão entre as falhas.


Segundo o Ministério Público de Rondônia (MP-RO), os órgãos de fiscalização foram orientados a fiscalizar o Hospital Municipal Maria Verli Pinheiro depois que várias denúncias foram feita sobre a unidade.

Corpo de Bombeiros Militar, Conselho Regional de Enfermagem de Rondônia (Coren) e Cremero: todos encontraram irregularidades na unidade hospitalar.

A visita do Cremero aconteceu em maio, mas a interdição ética ocorreu no início desta semana. Segundo a entidade, “os problemas encontrados são infinitos”, incluindo:

  • extintores de incêndio vencidos há anos;
  • infiltrações, rachaduras e mofos na estrutura;
  • fiações expostas que causam riscos de incêndio;
  • propagandas de uma clínica particular dentro do hospital que é público.

O Conselho também apontou que foram encontrados vários insumos com validade expirada. Até o momento da interdição, foram descartadas mais de 4,5 toneladas de medicação vencida. Segundo o Cremero, são remédios que poderiam ter atendido a população no auge da pandemia da Covid-19.

Em uma notificação expedida pelo MP nesta segunda-feira (20), o prefeito e a Secretaria Municipal de Saúde de Santa Luzia d’Oeste receberam 24 horas para apresentar quais as medidas adotadas para sanar as irregularidades identificadas e qual o encaminhamento médico feito para os pacientes, até que as adequações sejam feitas.

Confira outras irregularidade e soluções apontadas pelos órgãos de fiscalização:

  • Necessidade de apresentação do Projeto de Proteção contra Incêndio e Pânico;
  • Inexistência de enfermeiros onde são desenvolvidas as atividades de enfermagem;
  • Desativação do necrotério;
  • Ausência de médicos especialistas;
  • Falta do certificado de regularidade de inscrição de pessoa jurídica junto ao Cremero;
  • Não há dedetização realizada na unidade para controle de pragas, vetores, insetos e roedores;
  • A higienização das mãos é precária sendo usado detergente de louças, e sem papel para secá-las;
  • O acondicionamento de cilindros de gases é inadequado com risco de acidentes graves;
  • Descarte de resíduos sólidos é feito em um “casebre com a porta apodrecida de água de chuva e com saída de chorume e presença nas imediações de cachorros”;
  • Não há insumos pediátricos de intubação das crianças.

Hospital Municipal

Segundo o Cremero, o Hospital Municipal Maria Verli Pinheiro é unidade de saúde hospitalar e de pronto socorro. Ele possui 17 leitos e atende casos de pequena e média complexidade. O corpo médico da unidade é composto por seis médicos, sendo três efetivos e três emergenciais.

O g1 tenta contato com a Prefeitura do Município e a Secretaria de Saúde.

Fonte: Por Jaíne Quele Cruz, g1 RO.



« VOLTAR
AVANÇAR »

Nenhum comentário

- Seu comentário é sempre bem vindo!
- Comente, opine, se expresse! este espaço é seu!
- Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário!

- Se quiser fazer contato por e-mail, utilize o redacaor1rondonia@gmail.com

Publicidade