Últimas Notícias
Brasil

Rondoniense apoiado pelo PCC é preso em São Paulo tentando vender urânio

A polícia descobriu que o metal foi extraído no Acre

A Polícia Civil de São Paulo prendeu na última sexta-feira, 8, dois homens que estavam negociando cerca de um quilo de um material ofertado como urânio, segundo o jornal Folha de S. Paulo. Os suspeitos foram detidos em uma casa em Guarulhos, na Grande São Paulo, e disseram aos policiais que pretendiam fazer a venda por intermédio da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Amostras do suposto urânio foram encaminhadas para análise em laboratório.

 


De acordo com o jornal paulista, os policiais chegaram até o endereço após a denúncia de um homem que afirmou ter recebido uma proposta para comprar, ilegalmente, "material radioativo", por US$ 90 mil o quilo. Segundo a denúncia, a dupla afirmou que tinha um quilo do produto disponível para amostra e duas toneladas em estoque.

 

Os policiais se passaram por compradores e foram até a casa no bairro Vila Barros. Dentro do imóvel, os investigadores encontraram os suspeitos e pedras "que realmente tinham aparência idêntica ao metal urânio em estado bruto", conforme trecho do relado dos agentes. Além de prender os suspeitos, os policiais apreenderam o suposto urânio e um documento que indicaria a legitimidade do material. 

 

Em depoimento, um dos suspeitos disse que trouxe o urânio do Acre e que receberia R$ 10 mil pelo serviço. Já o outro afirmou que veio de Rondônia para comercializar o material e sua viagem teria sido financiada pelo PCC. Os homens foram presos por porte ilegal de material nuclear e por crime contra a ordem econômica, segundo a TV Globo.

 

Conforme à Folha, a Secretaria de Estado de Segurança Pública afirmou que o caso seria encaminhado à Justiça Federal.(Folha do Sul Online)



« VOLTAR
AVANÇAR »

Nenhum comentário

- Seu comentário é sempre bem vindo!
- Comente, opine, se expresse! este espaço é seu!
- Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário!

- Se quiser fazer contato por e-mail, utilize o redacaor1rondonia@gmail.com

Publicidade