Últimas Notícias
Brasil

Rondônia tem 2,4 mil adolescentes e jovens assassinados em uma década, revela Atlas da Violência

Levantamento indica ser um fator global que homens adolescentes e jovens entre 15 e 29 anos são os que mais apresentam risco de serem vítimas de homicídios.

Ao menos 2,4 mil jovens de 15 a 19 anos foram assassinados em Rondônia entre 2009 e 2019, segundo dados inéditos divulgados nesta semana pelo Atlas da Violência.

Mortalidade, geralmente, é causada por conflitos frutos da ação do crime organizado


Os dois anos com mais homicídios de adolescentes e jovens são 2015 e 2016, com 261 vítimas mortas em cada ano, respectivamente.


O Atlas da Violência indica ser um fator global que homens adolescentes e jovens entre 15 e 29 anos são os que mais apresentam risco de serem vítimas de homicídios e "os fatores estruturais que causam a mortalidade violenta são os conflitos frutos da ação do crime organizado e das mortes decorrentes do uso de armas de fogo".


Mesmo com o número de 2,4 mil assassinatos de jovens na década, a variação observada na série histórica aponta para uma queda acumulada na taxa de mortalidade violenta juvenil no estado.


Em Rondônia houve uma redução de 33,3% na letalidade de adolescentes e jovens entre 2009 e 2019.


No entanto, para especialistas de segurança pública, "a tragédia da juventude perdida continua se apresentando como um problema endêmico".


Homens são os mais assassinados

O Atlas também indica que em Rondônia, assim como no país, a característica mais marcante da letalidade juvenil é o sexo, pois, em média, mais de 80% das vítimas em Rondônia são do sexo masculino.


Em 2016, por exemplo, dos 261 assassinatos de jovens entre 15 e 19 anos, 246 eram homens (uma taxa de 98% por 100 mil jovens homens).


Especialistas da violência urbana têm um consenso de que são os homens tanto as principais vítimas como os principais autores de violência letal em todo o mundo.


A menor taxa de homicídios entre adolescentes foi em 2019, com 55,9%. Porém, o número de assassinatos em 2019 pode ser maior, pois houve aumento de mortes violentas por causa indeterminada naquele ano.


O número de mortes violentas sem causa determinada subiu 326% em Rondônia entre 2014 e 2019. Foram 171 vítimas no estado em um período de seis anos.


Os casos de Mortes Violentas por Causa Indeterminada (MVCI) são aqueles por causas externas "em que não foi possível estabelecer a causa básica do óbito, ou a motivação que gerou o fato, como sendo resultante de uma lesão autoprovocada (suicídio), de um acidente de trânsito, ou de uma agressão por terceiros ou por intervenção legal (homicídios)".


O estudo foi feito com base em dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) e do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) com bases nos atestados de óbito, ambos do Ministério da Saúde.


O Atlas aponta também que a letalidade juvenil permanece em um cenário constante e sem perspectiva de mudança a curto ou médio prazo.(G1RO)


TAGS: CACOAL, JI-PARANÁ, PORTO VELHO, RONDÔNIA, VILHENA



« VOLTAR
AVANÇAR »

Nenhum comentário

- Seu comentário é sempre bem vindo!
- Comente, opine, se expresse! este espaço é seu!
- Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário!

- Se quiser fazer contato por e-mail, utilize o redacaor1rondonia@gmail.com

Publicidade