Últimas Notícias
Brasil

Hospital de Amor deixa de receber pacientes com Covid-19 após fim de convênio com o governo de RO

De fevereiro a agosto deste ano, 272 pacientes com Covid-19 foram atendidos em 22 leitos conveniados na unidade.

Encerra neste sábado (28) o convênio entre o governo de Rondônia e o Hospital de Amor da Amazônia, firmado para ampliar leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI's) e atender pacientes com Covid-19 em Porto Velho. Com o fim do contrato, a unidade de saúde volta a atender apenas pacientes em tratamento de câncer.



A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) informou que, desde o começo do contrato (em fevereiro deste ano), 272 pessoas foram internadas na UTI do Hospital de Amor para tratar a Covid em 22 leitos.


Segundo o secretário estadual de saúde, Fernando Máximo, o contrato foi descontinuado devido à diminuição no número de novos casos de coronavírus e de pacientes internados com a doença na capital Porto Velho.


"Foram 22 leitos de UTI conveniados que salvaram muitas vidas durante essa pandemia, mas que agora pela diminuição intensa de número de casos e número de pacientes internados com Covid-19 no estado de Rondônia, ele está sendo descontinuado e o Hospital de Amor volta a fazer aquilo que ele faz com excelência, que é também cuidar de pacientes de câncer", explicou.


Atualmente, dois pacientes com Covid-19 continuam no hospital. Conforme o secretário, eles foram internados em situações graves, mas agora melhoraram e não necessitam mais do uso de oxigênio mecânico e serão transferidos para hospitais da rede estadual em leitos de enfermaria, e não mais UTI.


Com o fim do convênio com o Hospital de Amor, as UTI's destinadas para pacientes com Covid-19 em Porto Velho ficarão apenas no Hospital de Campanha (antigo Regina Pacis), no Hospital de Base, Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron) e na enfermaria anexa ao Cemetron.(G1RO)



« VOLTAR
AVANÇAR »

Nenhum comentário

- Seu comentário é sempre bem vindo!
- Comente, opine, se expresse! este espaço é seu!
- Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário!

- Se quiser fazer contato por e-mail, utilize o redacaor1rondonia@gmail.com

Publicidade