Últimas Notícias
Brasil

Polícia segue investigações sobre acidente entre jet-skis no rio Preto e já ouviu pilotos

O delegado Cristiano Lopes, titular da Delegacia de Polícia Civil de Candeias do Jamari, segue investigando para concluir o inquérito policial que apura o grave acidente envolvendo dois jet-skis, que deixou duas jovens feridas na tarde do dia 11 de julho deste ano, no Rio Preto, em Candeias do Jamari. Os condutores dos dois veículos já foram ouvidos.

Polícia segue investigações sobre acidente entre jet-skis no rio Preto e já ouviu pilotos


De acordo com o delegado, na última terça-feira (20), a Marinha do Brasil fez a reprodução simulada do acidente, e a Polícia aguarda o resultado que vai ajudar na conclusão das investigações. “Nosso trabalho está bem avançado. Já ouvimos os condutores dos dois jet-skis, uma das vítimas e vamos ouvir também as testemunhas que presenciaram o acidente”, esclareceu Cristiano Lopes.


Para o delegado, o condutor do jet-ski, onde estava as duas vítimas, relatou que o condutor do outro veículo teria invadido sua margem no rio, causando o acidente.

Já o segundo envolvido, que pilotava outro jet-ski, disse que o condutor do veículo que as duas jovens estavam, teria olhado para trás para conversar com as duas vítimas e foi nesse momento que aconteceu o acidente.


Uma delas está internada no Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro. A vítima mais grave identificada como Vanessa Gabriela, 21 anos, está internada no Hospital Samar, e deve prestar depoimento assim que tiver boas condições de saúde, segundo o delegado.


Agora, a Polícia aguarda o resultado da reprodução simulada do acidente feito pela Marinha do Brasil. “Com isso, nós vamos saber quem de fato deu causa a esse acidente que ocorreu no Rio Preto”, disse Cristiano Lopes.


Sobre a Arrais, que é a carteira exigida para quem pretende pilotar barcos pequenos, o delegado esclarece que os dois condutores possuem habilitação para conduzir Jet-skis. “Eles apresentaram a documentação regular dos jet-skis. Para confirmar a veracidade desses documentos, nós pedimos informações da Marinha do Brasil. Os dois eram habilitados”, esclarece Cristiano Lopes.


Segundo o delegado, o inquérito policial deve ser concluído no prazo de 30 dias.


O acidente


No dia do acidente, Vanessa, e outra amiga, estavam andando de jet-ski conduzido por um homem, quando foram atingidas por outro veículo aquático.


Com a forte colisão, as duas jovens foram jogadas na água e ficaram desacordadas. Uma testemunha que presenciou o acidente conseguiu tirar as vítimas da água, colocou em um barco e fez reanimação cardíaca.


Rapidamente, uma equipe do Corpo de Bombeiros foi acionada e socorreu as vítimas conscientes para o hospital.


O caso mais grave era o de Vanessa, já que ela apresentava cortes profundos e fratura no corpo. Ela foi levada para Hospital João Paulo II. (Rondoniagora)



« VOLTAR
AVANÇAR »

Nenhum comentário

- Seu comentário é sempre bem vindo!
- Comente, opine, se expresse! este espaço é seu!
- Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário!

- Se quiser fazer contato por e-mail, utilize o redacaor1rondonia@gmail.com

Publicidade