Últimas Notícias
Brasil

Elas se tornaram mães durante a pandemia e contam as experiências e os desafios

Os cuidados de mulheres que se tornaram mães durante a pandemia do Covid-19 em Porto Velho, tiveram que ser redobrados desde o primeiro acompanhamento médico até o nascimento do bebê. O isolamento acabou sendo o protocolo mais seguido e ao mesmo tempo o mais difícil, em um período, como a gestação, que é tão celebrado junto aos familiares.

Elas se tornaram mães durante a pandemia e contam as experiências e os desafios


Em Porto Velho, Bruna Rita, de 27 anos, engravidou no início da pandemia, mas nunca imaginou que o isolamento iria durar tanto tempo. “Desde a primeira consulta o médico pediu para que eu tivesse todos os cuidados, evitar sair e estar com pessoas que não fossem do meu convívio familiar, mesmo que na época ainda tivessem poucos casos de Covid-19.” relatou.


Depois que a filha de Bruna nasceu, em novembro de 2020, a preocupação ficou maior e o contato com o restante da família ainda foi mínimo nos dois primeiros meses, somente por foto ou chamada de vídeo. “A partir do terceiro mês que deixei os familiares verem a bebê a distância, através do portão do condomínio, porque por mais que você saiba que outra pessoa está se cuidando, é perigoso”, argumentou a Bruna.

Elas se tornaram mães durante a pandemia e contam as experiências e os desafios


Já o parto de Thaiana Furtado Botelho, 32 anos, que aconteceu em julho de 2020, teve duas enfermeiras que fizeram o papel do pai e deram todo o suporte emocional durante o nascimento do seu filho, já que não foi permitida a participação de nenhum familiar por conta de a equipe médica ser grupo de risco. “O meu primeiro contato, e até a primeira foto com meu filho foi de máscara. Só permitiram a entrada do meu marido e da minha mãe no quarto onde fiquei”, relatou.


A esperança da mãe Thaiana é de que a vacina contra a Covid-19 chegue logo para eles, pois hoje ela se priva de fornecer ao filho uma infância mais saudável, por que ter que ficar mais tempo dentro de casa. “Nós não podemos ir em uma praça, um parque pois há o risco de contrair o vírus. Eu peço proteção a Deus todos os dias, e ter saúde para criar meus filhos”, destacou.


Somente no Hospital de Base localizado em Porto Velho, desde o início da pandemia do Covid-19 foram realizados 3.539 partos, até março deste ano, de acordo com dados fornecidos pelo Setor de Estatística da Unidade.


Por: Rondoniagora.



« VOLTAR
AVANÇAR »

Nenhum comentário

- Seu comentário é sempre bem vindo!
- Comente, opine, se expresse! este espaço é seu!
- Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário!

- Se quiser fazer contato por e-mail, utilize o redacaor1rondonia@gmail.com

Publicidade