Últimas Notícias
Brasil

Mulher dá à luz enquanto tomava banho no banheiro de casa em Porto Velho: 'foi muito rápido'

Daiana Lanzoni e seu bebê tiveram alta hospitalar na manhã desta sexta-feira (27), mas a chegada na maternidade veio após um susto: um parto em casa. Mãe de duas crianças, uma de 3 e outra de 1 ano, o parto do terceiro filho foi, de longe, o mais diferente. Yan chegou sem avisar.


A mãe estava tomando banho quando sentiu que entraria em trabalho de parto e no banheiro de casa ela deu à luz ao segundo menino do casal.

Os dois primeiros filhos foram de partos normais, mas em ambiente hospitalar, segundo Daiana. Ela explica que o nascimento de Yan envolvia todo um planejamento por causa do diagnóstico de diabetes gestacional.

"Não foi planejado ter o bebê em casa. Inicialmente eu queria ter o parto domiciliar. Cheguei a começar o acompanhamento com uma equipe, mas esse tipo de parto é só para gestante de "risco habitual" e eu descobri que estava com diabetes gestacional, o que classifica como gestação de alto risco", comenta.

"Então não pode ser em casa, tem que ser no hospital mesmo. Contratei uma doula para ficar em casa comigo e me acompanhar. E é diferente da enfermeira, por exemplo, é para lidar com a dor, suporte emocional e podermos ir para maternidade quando o bebê estivesse perto para nascer", explica.

Mas o pequeno Yan, não quis esperar. Foi em casa e debaixo do chuveiro de água quente que ele decidiu que seria a hora de nascer.

"Ele não nasceu prematuro. Pela manhã já com a doula em casa, ela ficou me acompanhando e ficamos esperando a hora mais próxima da hora do parto. Passei o dia em casa esperando as contrações darem o intervalo ritmado para irmos para maternidade. As dores foram aumentando, mas não pegava ritmo. Ela sugeriu que eu fosse para o banheiro, pois a água quente ajuda a aliviar a dor. Realmente eu fiquei mais confortável. Foi questão de 15 minutos na sala e 15 minutos no chuveiro, ele nasceu. Foi muito rápido", lembra.

O esposo de Daiana estava na sala falando com o sogro pelo celular. Ela diz que deu o primeiro grito e ele correu para o banheiro.

"Ele dizia para o meu pai que estava tudo tranquilo, quando dei o meu primeiro grito ele veio. O bebê já estava saindo. Foram três forças. A primeira senti ele. A segunda força foi a cabeça descendo e na terceira força saiu o corpinho. Realmente foi muito rápido".

Momentos após o nascimento uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou na residência e a mamãe, bebê e o pai seguiram para a maternidade.

"Tive muita sorte, pois a doula é amiga minha e é estudante de enfermagem e ela tem curso em emergência obstétrica que fez com que ela soubesse o que fazer na hora. Na hora ela soube como aparar o bebê. Ajudou nos minutos iniciais para ver se estava tudo bem. Meu esposo ligou para o Samu e aí a gente ficou na sala aguardando a ambulância chegar".

Fonte: G1 



« VOLTAR
AVANÇAR »

Nenhum comentário

- Seu comentário é sempre bem vindo!
- Comente, opine, se expresse! este espaço é seu!
- Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário!

- Se quiser fazer contato por e-mail, utilize o redacaor1rondonia@gmail.com

Publicidade