Últimas Notícias
Brasil

PF investiga esquema que pode ter causado mais de R$ 15 milhões de dano com extração ilegal de madeira em RO

Investigação aponta que empresas fictícias tentavam burlar o Sistema de Documento de Origem Florestal e tornar madeiras extraída de locais proibidos como "legais".

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quinta-feira (25), uma operação para desarticular um esquema de fraude ao Sistema Oficial de Controle de madeiras extraídas da floresta. 

Operação Fake Wood da PF em Rondônia

Segundo a PF, os criminosos possuem empresas fictícias e usam transações falsas de compra e venda de madeira, com o objetivo de obter saldo virtual para cobrir a comercialização de madeiras extraídas de locais proibidos e torná-las "legais".


Quatro mandados de busca e apreensão são cumpridos em Vista Alegre do Abunã (RO) em desfavor de madeireiras e pessoas físicas. A Justiça Federal determinou o sequestro e bloqueio de bens dos investigados, sendo R$ 15.802.668,25, apontado por Peritos Federais como representativo do dano causado.

Operação Fake Wood da PF em Rondônia 
As madeireiras envolvidas tiveram as atividades suspensas por determinação judicial pelo prazo de 120 dias. Dessa forma, o Ibama, a Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sedam), a Secretaria de Estado de Finanças (Sefin) e a Receita Federal devem realizar o cumprimento da decisão.


Segundo a polícia, o caso envolve a prática dos crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, receptação e transporte ilegal de produtos florestais. Somadas, as penalidades podem chegar a 28 anos de reclusão e as madeireiras podem ser fechadas por sentença judicial.(g1ro)

Operação Fake Wood da PF em Rondônia


Fake Wood


O nome da Operação Fake Wood se refere às madeiras ilícitas que foram tornadas "legais" pelo esquema criminoso. 



« VOLTAR
AVANÇAR »

Nenhum comentário

- Seu comentário é sempre bem vindo!
- Comente, opine, se expresse! este espaço é seu!
- Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário!

- Se quiser fazer contato por e-mail, utilize o redacaor1rondonia@gmail.com

Publicidade