Últimas Notícias
Brasil

TIROS: Estudante de RO que sobreviveu a chacina no Paraguai muda de Hospital

Rhafaelli Alves do Nascimento, de 20 anos, levou tiro na coxa

Sobrevivente de chacina com quatro mortes ocorrida no sábado, em Pedro Juan Caballero, Rhafaelli Alves do Nascimento, de 20 anos, foi transferida nesta terça-feira (12) do Hospital Regional Doutor José Simone Neto, em Ponta Porã, distante 323 quilômetros de Campo Grande (MS).

 


A transferência, por orientação da polícia, ocorreu depois que a informação de onde ela estava foi divulgada. O site Campo Grande News apurou que mesmo Rhafaelli não sendo alvo dos atiradores, funcionários da unidade temiam ataque contra o hospital.

 

Em nota, a direção do hospital informou que a paciente deu entrada na unidade, vítima de disparo de arma de fogo na coxa. Recebeu atendimento de urgência necessário, avaliação clínica e nesta manhã foi transferida para outra unidade hospitalar.  “Por questões de segurança e sigilo da paciente, seguindo orientações dos órgãos policiais, não indicaremos para qual unidade hospitalar a paciente dará seguimento ao tratamento”.

 

No dia do crime, a morte da jovem chegou a ser confirmada pelo chefe de investigação de homicídios, Crio Hugo Grance, em entrevista para a emissora paraguaia, ABC TV. Logo depois, a polícia paraguaia se retratou em nota. Natural de Rondônia, Rhafaelli também é estudante de Medicina em Pedro Juan Caballero, assim como outras 3 vítimas do atentado. Todas estavam no carro fuziladao por pistoleiros no último sábado, na saída de uma festa.

 

Morreram no atentado a douradense Kaline Reinoso de Oliveira, 22 anos, Haylee Carolina Acevedo Yunis, 21 anos, filha do governador de Amambay Ronald Acevedo, a mato-grossense Rhamye Jamilly Borges de Oliveira, 18 anos, e Osmar Vicente Álvarez Grance, o “Bebeto”, 32 anos, que seria o alvo dos pistoleiros.(Folha do sul)



« VOLTAR
AVANÇAR »

Nenhum comentário

- Seu comentário é sempre bem vindo!
- Comente, opine, se expresse! este espaço é seu!
- Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário!

- Se quiser fazer contato por e-mail, utilize o redacaor1rondonia@gmail.com

Publicidade