Últimas Notícias
Brasil

Pacientes são transferidos do Hospital João Paulo II após denúncias de superlotação, em RO

Vídeo foi gravado no interior da unidade de saúde mostrando macas nos corredores, pacientes no chão e pessoas aguardando atendimento em cima de papelão


Mais de 30 pacientes foram transferidos do Hospital e Pronto Socorro João Paulo II, em Porto Velho, para outras unidades de saúde nesta quinta-feira (15) após denúncias de superlotação. Profissionais que trabalham no hospital informaram ao Conselho Regional de Enfermagem (Coren) sobre pacientes nos corredores, macas amontoadas e camas improvisadas com papelão e pessoas aguardando no chão.

Pacientes são transferidos do Hospital João Paulo II após denúncias de superlotação, em RO
Foto: Divulgação

O 1º Secretário do Coren, Régis Georg, diz que os vídeos que foram gravados no interior da unidade apenas reafirmam um fato há muito conhecido por quem conhece bem o hospital.


"O João Paulo é um hospital totalmente insalubre, sem condição nenhuma de uso, e isso é sabido por vários governos, não só o atual, mas também os anteriores. Qualidade de atendimento inexiste no João Paulo tanto para os profissionais quanto para os pacientes. O que provoca sempre a superlotação basicamente são os acidentes de trânsito, só que somado a isso nós temos as intercorrências clínicas, como pacientes cardíacos. Conforme a demanda é costumeiro que os pacientes sejam atendidos no chão. Isso traz muitos problemas, é complicado fazer qualquer tipo de atendimento com o paciente no chão, é um tratamento desumano".


Absorver a demanda de atendimentos não é um problema novo no João Paulo, mas a pandemia pressionou ainda mais a unidade. Na situação em que os pacientes foram mostrados no vídeo, segundo o representante do Coren, eles ficam ainda mais expostos a possíveis infecções.



"A partir do momento que o paciente está no chão, volta e meia em contato com qualquer tipo de secreção, de restos alimentos, de fezes e urina de ratos, o paciente está sujeito a tudo isso, aumenta o risco de ter um agravamento no quadro de saúde".


O Secretário de Saúde, Fernando Máximo, disse que o Estado espera a construção da nova unidade que ampliará o número de leitos, ainda sem uma data de entrega. Também informou que pacientes estão sendo enviados para outros hospitais.


"Nós temos um outro grupo de servidores da Secretaria de Estado da Saúde que trabalha intensamente para retirar esses pacientes do chão, dos corredores. Nesse momento como o Hospital João Paulo está lotado de novo, nós estamos trabalhando para desospitalizar, tirar esses pacientes, remanejar para outros hospitais para que eles possam ter um atendimento digno".


Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), 31 pacientes foram transferidos nesta quinta-feira (15) para o Hospital Santa Marcelina e para o Hospital de Base. Novas transferências ainda podem ocorrer. FOnte: g1ro



« VOLTAR
AVANÇAR »

Nenhum comentário

- Seu comentário é sempre bem vindo!
- Comente, opine, se expresse! este espaço é seu!
- Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário!

- Se quiser fazer contato por e-mail, utilize o redacaor1rondonia@gmail.com

Publicidade